A Luta

Postão da Cruzeiro em Porto Alegre é fechado por algumas horas após novo caso de violência

17/11/2016 00:31

151022-Seguranca-PACS-Credito-LetíciaHeinzelmann-6O Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul (o Postão da Cruzeiro) registrou novo caso de violência que levou ao fechamento da unidade na zona sul de Porto Alegre por algumas horas na noite desta quarta-feira (16). Relatos de profissionais repassados ao Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) indicam que o estopim de nova tensão e medo na unidade foi um homem que buscou atendimento por volta das 21h, após sofrer lesões físicas. Logo depois, em meio a um saguão lotado com mais de 40 pessoas à espera de assistência, outro homem, desta vez armado, ingressou no local, supostamente atrás do ferido, segundo relatos. A Guarda Municipal que fazia a vigilância do serviço, uma exigência do Simers e da categoria para garantir funcionamento do serviço de saúde na região, percebeu o risco e agiu rapidamente, evitando mais violência. O ferido acabou sendo levado de ambulância do SAMU ao HPS, para resguardá-lo e afastar possibilidade de confronto no local. Diante da tensão e medo de algum ataque de gangues do tráfico, as equipes mantiveram o posto fechado até meia-noite. "Só estamos atendendo quem já está aqui dentro. Não sabemos como está lá fora. Alguns profissionais mais jovens foram liberados. Não está seguro aqui", relatou um dos plantonistas. Também surgiu a informação que traficantes teriam anunciado toque de recolher na região. O posto foi reaberto, mesmo com a tensão ainda presente, pelos administradores, ignorando a condição das equipes e mesmo da população que estava no saguão. Com esta situação, o SIMERS eleva para 11 casos de violência em postos e outras unidades de saúde em Porto Alegre em 2016. Os dados fazem parte de um acompanhamento da entidade com base em relatos e notícias da Imprensa. Este ano, destaca o Sindicato, o nível da violência aumentou, com tiroteios e execuções nos locais de atendimento.
SEGUROS