A Luta

Encontro do SIMERS, em Santa Cruz do Sul, reúne 60 médicos

07/07/2017 13:15

Foto:Divulgação/SIMERS
Foto:Divulgação/SIMERS
A cidade de Santa Cruz do Sul foi a primeira do Interior do Estado a receber o “Encontros com a Categoria Médica”, promovido pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS). O evento, realizado no Hotel Águas Claras, reuniu cerca de 60 médicos e teve a presença do presidente do Sindicato, Paulo de Argollo Mendes. Em sua manifestação, Argollo ressaltou que a cidade é muito importante para o SIMERS e colocou os médicos a par da negociação com a prefeitura para a implementação de um Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV). “É uma proposta construída a quatro mãos, entre prefeitura e Sindicato e, diante do superávit informado pelo prefeito, acredito que a proposta vai se concretizar”, declarou. O presidente do Sindicato também falou aos médicos sobre algumas lutas da entidade, como a do reajuste das consultas pelo IPERGS e a ida ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) para pedir maior rigor na avaliação da destinação de verbas do governo estadual para a saúde. O delegado regional, Daniel Boessio, agradeceu a presença de Argollo na cidade e disse que há muito a avançar na saúde do município. “É uma luta construída dia a dia. Batalhamos por melhores condições e por uma atenção mais adequada no serviço público”, disse. O próximo evento deverá ocorrer no dia 13 de julho, em Lajeado. Prefeito garante PCCV O presidente do SIMERS teve um encontro com o prefeito de Santa Cruz do Sul, Telmo Kirst, para tratar do plano de carreira dos médicos. A agenda antecedeu o evento com os médicos e, na oportunidade, Argollo reforçou a importância da adoção do PCCV no município e cobrou celeridade no processo de avaliação. “Queremos que os médicos tenham uma valorização e possam ter uma carreira. Além disso, o Sindicato defende que os profissionais sejam remunerados por metas”, salientou.
Foto:Divulgação/SIMERS
Argollo e Kirst conversam sobre  adoção do PCCV
Kirst garantiu ao presidente do SIMERS que o projeto vai ter andamento e que isso só não ocorreu porque a proposta estava em avaliação de impacto orçamentário. “O PCCV está no nosso foco. Foi uma promessa da minha primeira campanha. Entendemos que ele é a saída para qualificar o atendimento e manter os médicos fixos na rede básica de saúde. Agora estamos prontos para avançar”, afirmou.
SEGUROS