A Luta

Violência volta ao Postão da Cruzeiro após troca do sistema de atendimento

19/04/2016 01:21

A tensão e violência voltaram ao Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul (PACS), zona sul de Porto Alegre. A mudança do sistema de atendimento, com a implantação da informatização, gerou confusão no local no começo da noite desta segunda-feira (18) devido a maior demora para a assistência. 18/4/2016 Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul violência paciente revolta demora sistema de informática guichê quebrado crédito Patrícia Comunello Um usuário que aguardava desde a manhã se revoltou e reagiu desferindo um golpe no vidro do guichê de atendimento, que veio ao chão. A Brigada Militar (BM) foi chamada, mas o homem, de 66 anos, não foi levado preso e acabou tendo atendimento depois de quase 12 horas de espera. O Sindicato Médico do RS (SIMERS) foi ao local após ser acionado pelos médicos plantonistas. O Postão chegou a ser fechado por volta das 20h30min e depois operou com restrição a casos graves e quem estava nas dependências. A Guarda Municipal reforçou a segurança no pátio do PACS, dobrando o efetivo que tem sido mantido na área justamente pelo agravamento da violência. 18/4/2016 Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul violência paciente revolta demora sistema de informática fachada crédito reuniao com médicos Patrícia ComunelloO diretor da entidade André Gonzales ouviu o relato dos profissionais e confirmou que a implantação do sistema está causando os transtornos. Além disso, Gonzales ressaltou que, para dar conta da alta demanda de pacientes, será preciso mais médicos nos consultório (três durante o dia) e dois para acompanhar pacientes na sala de observação. O grupo e o SIMERS concluíram que a melhor saída agora é cancelar o funcionamento com o sistema, retomando procedimentos manuais até acertar a operação com a informatização. "A ferramenta tem de ser usada para ajudar as pessoas e não para tornar mais difícil o atendimento", defendeu Gonzales. Também será verificada a conduta da BM, que não chegou a conduzir o homem que causou o dano para a delegacia e demais medidas. "Por que os policiais acabaram retornando com ele, que acabou sendo atendido na frente dos demais?" A diretora do SIMERS Clarissa Bassin disse que a secretaria também não comunicou a população sobre as mudanças. Pelo sistema antigo, os pacientes eram classificados entre mais graves, com prioridade no atendimento, e casos sem urgência. Estes últimos recebiam uma previsão de horário para consulta. Muitos iam para casa e retornavam apenas na hora agendada. "Foi assim por 30 anos, funcionava muito bem, agora mudou tudo e isso está gerando confusão e revolta", apontou a diretora do SIMERS. 18/4/2016 Pronto Atendimento Cruzeiro do Sul violência paciente revolta demora sistema de informática fachada Simers crédito Patrícia Comunello Gripe A Clarissa alertou ainda para outro problema. Já houve registro de casos de Gripe A e há mais suspeitas de pacientes em observação, mas até agora nenhum reforço da estrutura (leitos e profissionais) foi anunciada, nem no PACS e muito menos na rede hospitalar. Informação da prefeitura é que há falta de vagas. "Mas quando tivemos a epidemia, em 2009, foram montados hospitais de campanha. Esse é o caminho", cobrou a dirigente.  
SEGUROS