A Luta

Tramandaí: em votação, médicos decidem pela abertura da mesa de negociação com a Fundação Hospitalar Getúlio Vargas

22/11/2018 00:00


Só a pediatria do hospital é referência para oito municípios. Foto: Guilherme Tubino/Simers
Só a pediatria do hospital é referência para oito municípios. Foto: Guilherme Tubino/Simers

Em assembleia geral realizada pelo Simers, nesta terça-feira
(20), médicos do hospital de Tramandaí decidiram por unanimidade pela abertura
da mesa de negociação com a Fundação Hospitalar Getúlio Vargas (FHGV),
mantenedora da instituição. O motivo é a regulamentação dos plantões de 24
horas semanais, o que impede constantes quebras nas escalas, além de facilitar
a vinda e a permanência daqueles profissionais que residem em outros
municípios.



Durante o encontro, os médicos também levaram outras
reivindicações como falta de materiais básicos e o estado precário do quarto de
repouso, muitas vezes faltando roupa de cama. Para o diretor do Simers, André
Gonzales o cenário do hospital se torna mais preocupante com a chegada do
verão. “O maior problema em Tramandaí é a questão da carga horária dos médicos,
o que nos preocupa bastante, ainda mais no verão, quando a população do litoral
triplica. Vamos buscar uma solução justa e duradoura”, salienta.



O grupo de médicos está em assembleia permanente. 

SEGUROS