A Luta

Em coletiva promovida pelo Simers, Sírio-Libanês detalha como vai funcionar consultoria ao Beneficência Portuguesa

14/02/2018 18:19

Nesta quarta-feira (14) foi dado o passo inicial da consultoria que o Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo, vai prestar ao Hospital Beneficência Portuguesa. Com a visita da equipe coordenada pelo diretor-executivo da instituição paulista, Fernando Torelly, foram apresentadas as principais ações a serem desenvolvidas ao longo dos próximos três meses.  Ao fim dos trabalhos, um relatório técnico com sugestões de encaminhamento vai ser entregue ao Ministério da Saúde e às secretarias municipal e estadual de Saúde. Durante coletiva realizada no Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul (Muhm), que funciona no prédio histórico do Beneficência, Torelly relatou que a situação é difícil, mas não impossível de ser solucionada. “Vamos fazer um diagnóstico operacional, identificar o nível de endividamento da instituição e quais são as oportunidades”, explicou. Ou seja, será feita uma análise interna e outra externa, casando as competências do local com as necessidades de saúde da região. Em sua fala, o presidente do Simers, Paulo de Argollo Mendes, destacou a relevância da consultoria prestada pelo Sírio-Libanês. “Esse momento é um marco e também uma vitória nessa luta para salvar o Beneficência”, reforçou. Para ele, é fundamental evitar que o hospital feche as portas durante esse processo. Por isso, frisou a importância de que se concretize a abertura de 30 leitos psiquiátricos na instituição, em uma parceria com o Estado.
Coletiva no Beneficência Portuguesa
Argollo ressaltou a importância da consultoria. Foto: Juliane Soska/Simers

Histórico

Segundo o Ministério da Saúde, o Sírio-Libanês está entre as seis instituições do Brasil consideradas de excelência. Elas fazem parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), financiado com recursos oriundos de isenção fiscal e que vai permitir a realização de um diagnóstico do Beneficência Portuguesa. No Rio Grande do Sul, suporte semelhante de consultoria foi feito recentemente (inclusive, pelo próprio Sírio-Libanês) para o Hospital Regional de Santa Maria. De acordo com o secretário estadual de Saúde, João Gabbardo dos Reis, a expectativa é que se repita o resultado de qualidade já alcançado anteriormente - ainda que a situação do Beneficência seja considerada mais complexa. Também estiveram presentes o presidente do Beneficência, Augusto Veit; o secretário estadual de Transportes, Pedro Westphalen; a presidente da Associação Brasileira em Defesa dos Usuários de Sistemas de Saúde (Abrasus), Terezinha Borges, e o presidente da Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de saúde do Estado (Fehosul), Cláudio Allgayer.

Como ajudar

Uma das formas de ajudar no resgate do Beneficência é a partir de doações em conta bancária. Qualquer valor poderá ser depositado e o uso do dinheiro arrecadado será controlado pela nova gestão interina do Beneficência. O valor será destinado a pagar os custos com funcionários e demais gastos necessários para manter a instituição viva. Banrisul Conta 06.205518.7-4 Agência 0100 (CNPJ 92.740.539/0001-03)
SEGUROS