Defesa

Simers repudia riscos aos profissionais da saúde (veja o vídeo)

19/03/2020


Simers alerta gestores públicos e privados sobre os riscos à saúde, com a continuidade de atendimentos ambulatoriais em hospitais e clínicas e a falta de EPIs, aos profissionais da saúde. 

Na manhã desta quinta-feira (19) o Sindicato Médico do Rio Grande  do Sul visitou  emergências de hospitais e identificou lotação inadequada, mesmo que a população e gestores estejam orientados a promover a reclusão de pessoas, como forma de prevenção contra o novo Coronavírus. Diretores e assessoria da entidade percorreram os locais e averiguaram que médicos, profissionais de saúde e a população estão em risco, diante dos ambientes com acúmulo de pessoas, "o que contraria recomendação de especialistas e governantes, em todo o Mundo". 

A identificação da  indisponibilidade de equipamentos de proteção individual  (EPIs) aos profissionais da saúde, aos  médicos e ainda, aos pacientes aglomerados nas recepções  também foi fator de alerta dos representantes do Simers, os quais reivindicaram ações imediatas para readaptação das salas de espera, triagem e, até mesmo, na disponibilidade do atendimento ambulatorial e de consultórios dos estabelecimentos de saúde.

Conforme o presidente do Simers, Marcelo Matias,  "a gestão deve se antecipar aos fatos que podem causar problemas futuros", observando que medidas administrativas e no atendimento ao público são necessárias e devem ocorrer de forma emergencial, para evitar o aumento do número de infectados e promover maior segurança aos profissionais de saúde, "os quais estão na linha de frente do processo de atendimento e promoção da saúde a todos". Matias observou que  o Simers acionou órgãos responsáveis, para providências cabíveis e, salientou que a entidade está com o Plantão 24 Horas disponível para atender os médicos, em qualquer situação; assim como, lembrou que o Canal de Denúncias está ativo para qualquer circunstância que envolva o profissional.


SEGUROS