Na Defesa

Simers propõe medidas para garantir acesso de pacientes com doenças psiquiátricas a medicações de uso contínuo

07/06/2018

Simers apresentou duas propostas ao Secretário Estadual da Saúde, Francisco Paz. Foto: Guilherme Tubino/Simers
Simers apresentou duas propostas ao Secretário Estadual da Saúde, Francisco Paz. Foto: Guilherme Tubino/Simers


Buscar alternativas para garantir o atendimento digno a pacientes que possuem transtornos psiquiátricos foi o objetivo da reunião realizada na tarde desta terça-feira (05/jun) entre representantes do Simers, o secretário Estadual da Saúde, Francisco Paz, e a diretora substituta da Assistência Farmacêutica, Simone Pacheco do Amaral. Na ocasião, um dos temas debatidos foi a necessidade de desburocratizar os procedimentos exigidos pela administração pública para a dispensação de psicofármacos em pacientes psiquiátricos.

Atualmente, os médicos precisam preencher nada menos que 11 folhas para solicitar à farmácia do Estado a continuidade do tratamento de doenças mentais. A burocracia excessiva ocorre porque essas medicações nem sempre são disponibilizadas na rede. Justamente por isso, surge outro problema que foi detectado pelo Simers, por meio de uma comissão interna para assuntos relacionados à psiquiatria: sem possibilidade financeira de manter o tratamento medicamentoso em nível ambulatorial, os pacientes que saem da internação do hospital especializado São Pedro não conseguem manter a melhora clinica por muito tempo. Resultado: descompensação da doença, mais surtos e necessidade de reinternações.

Para a diretora do Simers Clarissa Bassin, a situação é absurda. “Com a tecnologia que temos hoje, esse excesso burocrático prejudica o profissional e o paciente. Precisamos rever isso imediatamente”, afirma.

Também diretora do Simers, a psiquiatra Roberta Grudtner lembra que é essencial assegurar o tratamento aos pacientes que dependem de medicações de uso continuo. “O paciente com transtorno mental e comportamental exige a continuidade do tratamento em nível ambulatorial. A Secretaria, de alguma forma, precisa prover essas medicações que proporcionam maior adesão a longo prazo. Esta é a forma de salvarmos vidas, pois essas doenças, quando não tratadas, podem matar”, salienta Roberta.

Na reunião, o Simers – também representado pelos doutores Germano Bonow e Bruno Costa – entregou a Francisco Paz um ofício com propostas para melhorar essas questões, tais como a revisão dos procedimentos realizados hoje e a inclusão de remédios mais efetivos no rol disponível na rede. O secretário recebeu as sugestões e se comprometeu a analisá-las com brevidade.

SEGUROS