Defesa

SIMERS quer que ministro da Saúde aponte médico que 'finge trabalhar'

24/07/2017


O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) quer que o ministro da Saúde, Ricardo Barros, aponte quem ele diz “fingir que trabalha”, ao se referir aos médicos que atuam na saúde pública. A declaração, em 13 de julho, teve forte reação de entidades médicas e da categoria. O Sindicato Médico decidiu ingressar com uma interpelação no Supremo Tribunal Federal (STF) - pois se trata de ministro de estado, para que Barros informe os profissionais que estão nesta situação.

"Ele ofendeu a categoria médica", destaca o presidente do SIMERS, Paulo de Argollo Mendes. Caso não haja resposta da maior autoridade da Saúde no País, o Sindicato buscará a retratação do ministro. A frase que ele disse foi: “vamos parar de fingir que pagamos o médico, e o médico vai parar de fingir que trabalha”.

O presidente da entidade médica ressalta: “Em algum momento temos de dar um basta. Estamos cansados de receber a culpa pelo que os ministros deixam de fazer, pelo que o governo deixa de fazer, pela corrupção no governo. Enquanto isso, trabalhamos desesperadamente para salvar vidas”, adverte Argollo.
SEGUROS