Medicina

Médicos aconselham vestibulandos de medicina

04/01/2017

Pixabay
Foto: Pixabay


A Medicina é uma das profissões mais completas, segundo o especialista em Clínica Médica e Medicina de Urgência Fernando Waldemar. Para ele, é importante que os futuros médicos se exponham a cenários diferentes enquanto estiverem na universidade, pois na Medicina existe espaço para todos os perfis de profissionais.

“O jovem deve perceber a área que se identifica, durante a faculdade. Existem os que preferem trabalhar com diagnóstico de imagem, radioterapia e, outros, porém, como gestor, com patologias, medicina nuclear ou cirurgião. Temos a oportunidade de determinar, dentro de cada especialidade, em qual iremos atuar, ” ressaltou Waldemar.

Dados apontados no estudo sobre a Demografia Médica do Brasil 2015, do Conselho Federal de Medicina, mostram que metade dos profissionais faz residência em apenas seis especialidades: clínica-geral, pediatria, cirurgia geral, ginecologia, anestesiologia e cardiologia. No entanto, há um vasto campo de atuação em outras áreas.  Ao todo, no país, existem mais de 50 especialidades médicas.

Para o especialista em Medicina Hospitalar André Wajner, os jovens devem levar em consideração variáveis antes de optarem pela área médica, pois a Medicina está longe de ser uma profissão romântica como parece. “Existe risco de violência dentro de hospitais, falta de infraestrutura, vários postos de saúde sem equipamentos para exames, o volume de atendimento é grande, dentre outras tantas dificuldades. A parte boa é conhecer o paciente, a sociedade, ver que eles confiam no nosso trabalho e entregam o bem maior nas nossas mãos: a vida. É imensurável o prazer de ser médico, ” disse Wajner.

SEGUROS