Na Defesa

Em Brasília, entidades garantem 60 dias para discutir telemedicina

07/02/2019


Vice-presidente do Simers representa os médicos gaúchos em Brasília. Foto: Divulgação/Simers
Vice-presidente do Simers representa os médicos gaúchos em Brasília. Foto: Divulgação/Simers

O vice-presidente do Simers, Edson Prado Machado, esteve em Brasília nesta quinta-feira (07), no II Fórum de Telemedicina do Conselho Federal de Medicina (CFM). O evento promoveu o debate sobre a resolução 2.227/2018, que autorizava a realização de consultas online, telecirurgia e telediagnósticos. 

A partir da reivindicação de entidades médicas, como o Simers, o CFM concedeu 60 dias para que o documento seja discutido pela categoria. Após a deliberação dos médicos, a normativa deverá ser validada.

O Simers defendeu, desde que a resolução foi publicada, a revisão de pontos que impactam na relação médico-paciente e exame físico, por exemplo. “Somos totalmente favoráveis à prestação de serviços médicos usando tecnologia. Nós fomos contrários ao modo como a medida foi levada a conhecimento. Agora, retornamos com a promessa de uma grande discussão para ajustarmos a telemedicina e, com isso, prestarmos o serviço com segurança”, disse Machado

SEGUROS