Defesa

Caos na saúde de Bagé: sem perspectiva de reabertura plena do HU, população seguirá com atendimento SUS na Santa Casa

22/12/2016

O risco de caos na saúde de Bagé parece estar com os dias contados. Mesmo sem a perspectiva de reabertura do Hospital Universitário para atendimento pelo SUS, a população do município não ficará desassistida. Os médicos da Santa Casa de Caridade terão parte das remunerações atrasadas quitadas antes do final do ano. A informação foi dada pelo novo provedor da instituição, Airton Torres de Lacerda, em reunião na quarta-feira (21) com o delegado regional do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS), Roberto Gaffrée. No encontro, do qual também participou o novo vice-provedor, Jorge Moussa, Lacerda disse que a instituição deverá obter recursos para pagar 60% dos salários de agosto e a totalidade dos valores relativos a setembro para os médicos. Ainda não há previsão quanto ao pagamento das remunerações de outubro, novembro e dezembro.

A informação, porém, agradou ao Sindicato, que saudou a iniciativa, tendo em vista que os novos provedores ainda nem assumiram o controle da instituição, o que deverá ocorrer na última semana do ano. Lacerda informou a Gaffrée que a intenção é de que a Santa Casa tenha um novo modelo de gestão. Ficou acertado no encontro que, dentro de seis meses, o SIMERS e a direção da Santa Casa se reunirão novamente para avaliar possíveis avanços na administração. “Estamos vendo com bons olhos a transparência do diálogo com a nova provedoria, algo que não estava acontecendo antes. Tratam-se de médicos sem vinculação partidária e que trabalharam na Medicina antes de se tornarem gestores. O fato de terem recebido o SIMERS antes mesmo de assumir os cargos é um ponto positivo”, afirmou Gaffrée.

 

Hospital Universitário

O delegado regional do SIMERS também lamentou que o Hospital Universitário de Bagé, que reabriu para convênios e particulares no último dia 6, ainda não tenha reaberto leitos para o SUS. A ideia era que a instituição passasse a receber pacientes do SUS a partir do dia 20. “Só temos a lamentar, pois essa era uma expectativa que não ocorreu. Vários médicos não estão trabalhando e ficam aguardando uma definição. O município precisa desses leitos para a população”, disse Gaffrée. No próximo dia 10 de janeiro, o SIMERS terá novo encontro com a promotora do Ministério Público em Bagé, Marlise Martino Oliveira, para tratar da questão.
SEGUROS