Defesa

6 situações chocantes que médicos se deparam na saúde pública

17/10/2016

Não é novidade que o sistema de saúde público sofre com falta de infraestrutura, com emergências superlotadas e filas de espera demoradas para realizar alguns procedimentos. Porém, os problemas de algumas unidades de saúde vão muito além disso. Muitas vezes, os médicos se encontram em situações realmente complicadas, sem conseguir prestar o serviço adequado ou tendo que lidar com condições que podem acabar colocando a saúde dos pacientes em risco.

Confira 6 situações que médicos se deparam na saúde pública:

Ter que transferir crianças da UTI devido a inundações


Médicos e falta de infra-estrutura

Em abril deste ano, foi preciso transferir 13 bebês em estado grave que estavam na UTI Neonatal do Hospital Conceição porque a sala alagou. Com as fortes chuvas que atingiram Porto Alegre, o prédio sofreu com goteiras, infiltrações e alagamentos e os pacientes tiveram que ser transferidos às pressas. Para completar, a água escorria pelas lâmpadas, causando risco de um curto-circuito.

Encontrar fezes de ratos em cima da cama do consultório


Médicos e falta de infra-estrutura

Parece mentira, mas essa situação aconteceu repetidamente nas unidades de saúde de Alvorada no começo deste ano. Segundo o relato de uma profissional que não quis se identificar, o local estava infestado e os próprios pacientes tiveram que matar baratas dentro das salas do posto - situação que pode espalhar doenças como leptospirose, hantavirorese, dermatites, salmonelose, sarnas e alergias.

Ter que lidar com material esterilizado com validade vencida


Médicos e falta de infra-estrutura

Os médicos ficam em uma situação complicada quando o material não está em condições adequadas. Deixar de prestar o atendimento necessário por falta de material ou realizar procedimentos com materiais que podem causar infecções e outras doenças nos pacientes? No PAM 8, em Alvorada, foi encontrado instrumentos esterilizados armazenados indevidamente com validade expirada há mais de um ano.

Colocar pacientes doentes em colchonetes no chão no auge do inverno


Médicos e falta de infra-estrutura

A falta de leitos é um problema conhecido das emergências. Quando um paciente chega no pronto atendimento lotado, não há uma maca adequada para colocá-lo e também não há vaga em outras instituições para onde ele possa ser transferido, o que o médico deve fazer?

Muitas vezes, "dá-se um jeito", colocando pacientes doentes em cadeiras ou colchonetes no chão. Isso aconteceu na emergência do Hospital Conceição no auge do inverno.

Deixar de vacinar crianças por causa de geladeiras estragadas


Médicos e falta de infra-estrutura

A vacinação infantil é fundamental para manter as crianças livres de doenças como paralisia infantil, Gripe A e hepatites. É frustrante quando pais e mães procuram os postos para vacinar seus filhos e não há vacina, mas é ainda pior ter as vacinas e ver elas estragarem ou precisar enviá-las para outros locais por problemas nas geladeiras e atrasos na instalação de câmaras de armazenamento. Isso aconteceu no final de 2015 em diversos postos da Capital.

Deixar de atender pacientes por falta d'água


Médicos e falta de infra-estrutura

Como se não bastasse a sobrecarga de trabalho, o serviço de Unidades Básicas de Saúde precisa ser interrompido por problemas de infraestrutura que poderiam ser facilmente evitados. Em julho de 2016, a Unidade Básica de Saúde (UBS) Cristal deixou de atender dezenas de pacientes por causa da interrupção no abastecimento de água.

O dia está só começando


estrutura-precaria

Na websérie Nascidos para Medicina, obra ficcional que retrata os desafios dos médicos na luta pela prestação da saúde de qualidade no Brasil, Marco chega ao hospital para seu primeiro dia de residência. O primeiro caso já exige muito de sua capacidade: uma mulher esfaqueada precisa de uma punção no coração, mas não há todos os equipamentos necessários para o procedimento. Assista aqui.
SEGUROS