Médico

6 mentiras sobre divulgação de consultório que insistem em contar

22/11/2016

marketing médico

Divulgação de consultórios e clínicas médicas é uma área cheia de mitos. Há profissionais que deixam de anunciar os serviços por achar que é proibido. Isso acontece porque há limitações ao tipo de propaganda que um médico pode fazer. Essas restrições existem para evitar excessos, porém, o marketing médico está bem regulamentado pelo CFM e há muitos meios de divulgação que o médico pode utilizar sem medo.

Confira 6 mentiras sobre divulgação de consultório e clínica que insistem em contar


 

Fazer marketing é caro
Card-2


Atualmente, fazer marketing não é caro. Se o médico tiver tempo livre e alguma habilidade com as palavras, é possível fazer ele mesmo o próprio conteúdo - e de graça. É possível criar o próprio perfil nas redes sociais e também um blog para divulgar o trabalho sem gastar nada. Além disso, mesmo que resolva pagar para anunciar nas redes sociais e no Google, o valor ainda é muito baixo comparado com as mídias tradicionais.

Redes sociais não é lugar de médico
Card-3


Usar redes sociais para divulgar o trabalho como médico pode ser positivo, mas é preciso saber como utilizar esses canais. De acordo com Rodolfo Freire, fundador da Design Kapital, empresa especializada em marketing médico, as redes sociais são o lugar onde o público está, é onde as pessoas passam o maior tempo quando estão conectadas. Por isso, o médico pode e deve criar um perfil profissional (uma página, no caso do Facebook) para publicar conteúdo educativo e informativo com uma linguagem acessível, envolver o público e ganhar reputação.

Porém, é fundamental ter cuidado para não misturar os perfis pessoais e profissionais e ter cuidado para sempre ter um posicionamento profissional nas redes.

Ter um site ou um blog não traz retorno
Card-4


Um site ou um blog na internet pode ser muito importante para um médico. De acordo com Freire, 80% das pessoas pesquisam no Google antes de comprar um produto ou contratar um serviço. Se o médico não estiver presente na web, dificilmente será escolhido. Uma clínica ou consultório pode ter um site ou um blog para apresentar os serviços prestados e publicar conteúdo útil para o público. Além disso, o médico pode anunciar no Google para que a sua página seja encontrada com mais facilidade nas pesquisas.

Médico não pode pagar para anunciar no Google e no Facebook
Card-5


O médico pode pagar anúncios, sim. De acordo com Rodolfo Freire, o médico precisa ter cuidado com o tipo de conteúdo que irá divulgar. O especialista explica que médicos não podem divulgar um tratamento que não é reconhecido pelo CFM, prometer resultados e nem dar a entender que o serviço é superior aos concorrentes.

Ao invés disso, o médico deve focar em criar conteúdo informativo e educativo para publicar em sites, blogs ou redes sociais. A ideia é conquistar a confiança do público, ganhar reputação e engajar os pacientes.

Anunciar na internet não vale a pena
Card-6


De acordo com Rodolfo Freire, o marketing em mídias tradicionais, como jornais e rádios, é como se fosse um tiro de canhão: você está usando muito força e atingindo um alvo muito grande. Porém, se você anuncia no Google ou em redes sociais como Facebook e Instagram, você tem um “tiro” mais certeiro pois é possível escolher quem você quer que veja a propaganda.

Por exemplo, no Google, o anúncio pode aparecer apenas para quem pesquisar certas palavras-chave relacionadas ao serviço prestado. Nas redes sociais, é possível selecionar o público-alvo, incluindo os interesses das pessoas. Freire ainda acrescenta que, na internet, o médico tem dados e métricas para analisar e ver quão efetivo foi o anúncio, o que pode fazer com que o próximo seja mais eficiente.

Divulgação por e-mail é só spam
Card-7


Ninguém gosta de receber e-mails indesejados de propaganda, mas isso não quer dizer que o e-mail não é um bom canal de comunicação. “É fundamental cuidar para não fazer spam, não ser inconveniente, mas o e-mail marketing uma ótima ferramenta para se comunicar com pacientes e pessoas que já demonstraram interesse no serviço”, explica Freire. O médico pode ter um mailing com o contato dos clientes e outras pessoas que procuraram o serviço através das redes sociais e site para enviar conteúdo relevante e novidades do consultório ou clínica. Utilizar o e-mail é uma forma de fidelizar os clientes e conquistar as pessoas que tem interesse no serviço.

Sabendo que marketing digital pode ser complexo, principalmente quando se trata da profissão médica, o Simers criou o curso de Introdução ao Marketing Digital especialmente para médicos, que traz especialistas na área para orientar os profissionais a fazer uma divulgação correta e eficiente.

Saiba mais:
Como atrair mais pacientes para consultório ou clínica
5 dicas para médicos criarem um blog de sucesso
6 dicas para médicos de como usar as redes sociais

 

Por Shana Sudbrack/Cartola - Agência de Conteúdo
SEGUROS