Defesa

3 decisões difíceis que os médicos têm que tomar no dia a dia

17/10/2016

Ser médico é estar exposto a dilemas constantes. Ter o poder de decidir sobre a vida do outro traz grandes possibilidades, coloca os profissionais em situações complicadas, e, na maior parte das vezes, inevitáveis. A situação piora quando há sobrecarga de trabalho e problemas de infraestrutura. No fim, tomar decisões difíceis, que podem gerar graves consequências para outras pessoas faz parte da profissão. Veja decisões difíceis que fazem parte do cotidiano médico:

1) Dispensar pacientes por falta de infraestrutura adequada para o atendimento.



hospital fechado
Foto: PPI-Images / iStock


O médico está acostumado a prestar atendimento em situações longe das ideais. Porém, em alguns casos, os problemas de infraestrutura são tão graves que é preciso dispensar pacientes e suspender os atendimentos. Fazer isso sabendo da necessidade das pessoas nunca é fácil.

2) Escolher quem realizará um procedimento primeiro quando há poucas vagas

emegência
Foto: monkeybusinessimages / iStock


É comum os hospitais trabalharem lotados e, inclusive, aceitarem mais mais pacientes que a sua capacidade. Porém, quando as emergências já estão trabalhando acima de sua capacidade, muitas vezes é preciso escolher entre atender dois pacientes graves.

3) Ter de realizar uma operação arriscada ou que pode acarretar em sequelas para tentar preservar a vida do paciente

cirurgia emergencia
Foto: fivepointsix / iStock


É um dilema constante da vida do médico tomar a decisão em relação a procedimentos arriscados. Muitas vezes, uma cirurgia arriscada - que pode levar a sequelas ou até colocar o paciente em risco de vida - pode melhorar drasticamente a qualidade de vida ou até salvar ele da morte iminente. Normalmente, estas decisões são tomadas em conjunto com o paciente e familiares, mas cabe ao médico orientar o paciente e decidir junto com ele.

Força para encarar tudo

força-para-encarar-tudo



Na websérie Nascidos para Medicina, obra ficcional que retrata os desafios dos médicos na luta pela prestação da saúde de qualidade no Brasil, uma menina chega à emergência gravemente ferida, e, após diversas tentativas de reanimação, é constatada a morte cerebral. Com a ajuda de Julia, Marco deve lidar com sua primeira perda e com a família da menina. Assista aqui.

SEGUROS