A Luta

Diretor de Interior do Simers participa de debate em Santiago sobre sistema de saúde

29/04/2019 00:00

A rediscussão  do Sistema Único de Saúde (SUS) e alternativas para que tenhamos um sistema de saúde sustentável foram os principais temas debatidos no painel “Saúde, Poder Judiciário e Estado”, realizado na quinta-feira (25) no Salão de Atos da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) em Santiago. Promovido pelo DCE da universidade, o encontro reuniu o Diretor de Interior do Simers, Fernando Uberti Machado; o prefeito de Santa Maria, Jorge Pozzobom; o advogado Ricardo Jobim e o presidente do Centro RS Saúde e diretor do Laboratório Oswaldo Cruz, Rafael Silveira, com mediação do presidente do Núcleo Jovem da Cacism, Lucio Antunes.

Diretor Fernando Uberti (C) com os debatedores

Diretor Fernando Uberti (C) com os debatedores

Com a participação de cerca de 400 pessoas, entre lideranças políticas, gestores e estudantes da universidade e da região, o evento teve abertura do prefeito de Santiago, Tiago Görski, que destacou que o município foi reconhecido como um dos que mais reduziu os índices de judicialização na saúde. 

Em suas manifestações, os debatedores concordaram que é preciso um grande movimento de rediscussão do formato do SUS, além de descentralizar os recursos federais, destinando mais recursos aos municípios. O diretor do Simers, Fernando Uberti, ressaltou que a sustentabilidade econômica é fundamental. “Não adianta injetar mais dinheiro se os pilares do sistema são insustentáveis”, disse. Uberti acrescentou que o país não deve ficar “preso a uma sigla” e que o foco do debate deve ser um sistema de saúde que funcione na ponta, e que seja sustentável economicamente. “Precisamos quebrar o tabu e fazer uma reflexão de como esse sistema pode ser bom na prática, e não somente na letra da lei. Isso tem como pressuposto não julgar o sistema de saúde por suas intenções, mas sim por seus resultados efetivos”, salientou. 

Fernando Uberti defendeu mudanças no SUS

Fernando Uberti defendeu mudanças no SUS

Jorge Pozzobom informou que na sua gestão conseguiu reduzir em quase 74% a judicialização na área da saúde mental e que é preciso parar de jogar aos municípios toda a responsabilidade sobre os problemas no setor. Rafael Silveira destacou que a tabela do SUS não é reajustada há vários anos e que o valor dos procedimentos está muito defasado – citou o caso de um hemograma, pelo qual é pago apenas R$ 4,11 na tabela do sistema. Ricardo Jobim disse que no atual cenário da saúde médicos, enfermeiros e outros profissionais são verdadeiros heróis. “É fácil criticar ou defender a saúde pública. Difícil é atuar na saúde pública”, declarou.

Evento contou com cerca de 400 participantes

Evento contou com cerca de 400 participantes e lotou Salão de Atos da URI

SEGUROS