Simers - Sindicato Médico do Rio Grande do SulInício

NOSSA HISTÓRIA

Foi um longo, intenso e árduo movimento de classe que permitiu, no dia 20 de maio de 1931, a criação do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS), em Porto Alegre.

Nestas mais de oito décadas de trabalho e dedicação à causa médica, o SIMERS empreendeu inúmeras outras lutas e passou a receber da sociedade gaúcha e brasileira respeito e admiração. Hoje, mais que um Sindicato, o SIMERS é modelo de instituição moderna, sincronizada com seu tempo, voltada não apenas para os interesses classistas, mas para as causas sociais da atualidade.

galeria de presidentes

1930-31

Gabino Prates da Fonseca

1932

Mario Totta

1932

Moysés Alves de Menezes

1932-33 | 1936

Plínio da Costa Gama

1933

Luís Francisco Guerra Blessmann

1933

João Lisboa de Azevedo

1934

Carlos Niederauer Hoffmeister

1935

Décio Martins Costa

1935

Tomas Laranjeira Mariante

1936

Aurélio de Lima Py

1937–39

Argemiro Dornelles

1939–42

Leônidas Escobar

1943–45 | 1948–49

Homero Fleck

1946–47 | 1951

Álvaro Barcellos Ferreira

1954–56

José Gerbase

1956–57

Salomão Cutin

1958–62

Mario Azambuja

1962–64

Paulo Tibiriçá

1965–66

Carlos Brenner

1967–68

Olavo Castagna

1969–71

Fernando Figueiredo

1969–71

Josué Machado Vieira

1972–74

Sérgio Azambuja

1972–74

Pedro Gus

1975–77

Henrique Sarmento Barata

1975–77 | 1978–80 | 1981–83

Carlos Sá

1984–86 | 1987–89 | 1989–91 | 1995–97

Flávio Moura Agosto

1992–94

Gildo Vissoky

1998-Hoje

Paulo de Argollo Mendes

1930

Fundação

Determinados a combater a liberdade profissional e dispostos a defender a profissão, uma comissão de médicos uniu-se para organizar seu Sindicato.

Somos um grupo de entusiastas mas muito em breve seremos uma apreciável força

Gabino Prates da Fonseca

Fundador e presidente da primeira comissão executiva do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul.

Segunda sede, 1934

Carta Sindical

Primeira luta

O exercício da Medicina permitido apenas por profissionais habilitados, regulamentado por decreto em 11 de janeiro de 1932, foi a primeira luta e primeira conquista do SIMERS.

1940-50

Ainda na luta

Apesar de diversas leis implementadas, o debate pela regulamentação da medicina se estendeu até os anos 40. Regulamentada a profissão, um dos principais papéis do Sindicato foi fiscalizar o cumprimento da lei.

Estatuto, 1941

Cumprindo o que determinava a Lei que regulamentou a profissão, os médicos passaram a registrar-se no órgão responsável, o Departamento Estadual de Saúde.

A década de 50 foi marcada pelas lutas dos trabalhadores por melhoria nas condições de vida. O Sindicato lançava nesta época uma campanha dirigida aos seus associados.

1960-70

Sindicalismo x Ditadura

Após os anos iniciais de efervescentes lutas e conquistas, a atuação do Sindicato diminuiu. Mergulhado em uma Ditadura Militar, que desarticulou todos os movimentos sociais, todas as categorias profissionais viram seus sindicatos transformarem-se em marionetes na mão do Estado.

Paralisação no HPS

Com o passar do tempo e o agravamento das condições socioeconômicas os sindicatos voltam a ganhar espaço, buscando autonomia, reformulação de suas formas de organização e ação. Foi o chamado “Novo Sindicalismo”.

1980

A volta do sindicalismo

Chegam os anos 80. O Sindicato Médico volta à atividade, embora de forma tímida. Questões relacionadas a dissídios e a defesa da melhoria das condições de saúde da população marcaram esse retorno.

Riocentro

Provocou retenção ao movimento sindical, contudo, a organização da 1° Conferência Nacional da Classe Trabalhadora, no mesmo ano, mostrou que as organizações sindicais tinham fôlego.

Diretas Já

A participação no Movimento “Diretas Já” mostrou o envolvimento de todas as categorias. Com a eleição de Tancredo Neves e após, com a posse de José Sarney, o movimento sindical ganhou impulso

Constituinte

Envolvido também com a Constituinte, o Sindicato foi o único da categoria a apresentar uma proposta de Plano Nacional de Saúde para ser debatida.

1990

Antigos e novos desafios

Mesmo com a democratização consolidada, o Sindicato percorre quase toda a década de 1990 com uma adesão de 27% da categoria, o que significava o baixo número de dois mil sócios. Além do aumento do quadro social, a luta contra a prática ilegal da Medicina e por melhores condições de trabalho médico pautaram a década.

Caso Anita - Hospital Fêmina

O Caso Anita representou uma vitória importante para o Sindicato. A partir dele, não foram mais tolerados ataques a médicos, como se os profissionais fossem os culpados pelas falhas do sistema público de saúde.

Sede - Agosto/98

2000

Consolidando conquistas

Verdadeiramente, a década de afirmação e maior atuação do agora SIMERS.

SIMERS sagra-se a primeira entidade médica e primeiro sindicato classista a receber a Certificação ISO 9000.

Inaugurado o MUHM em 2006.

Serviços como Assessoria Jurídica, Assessoria Trabalhista, Assessoria de Imprensa, Assessoria Contábil, entre outros, faz do SIMERS um campeão em satisfação de seus clientes.

Sede - Junho de 2000

2010

Uma história de lutas!

Na passagem dos seus 80 anos, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul transforma-se no maior de sua categoria.

Mobilização contra
a arbitrariedade

Médicos gaúchos não aceitam importação de profissionais estrangeiros, veto ao ato médico e serviço civil obrigatório para estudantes.