SIMERS cobra do IPERGS proposta de reajuste dos honorários médicos

Reunião no IPERGS sobre reajuste dos honorários

O SIMERS aguarda que o IPERGS faça uma proposta. Foto: Divulgação/SIMERS

Depois de se retirar do Grupo Paritário no ano passado por se negar a ser conivente com o desmonte do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (IPERGS), o Sindicato Médico do RS (SIMERS) voltou a se reunir com representantes da autarquia na tarde desta quinta-feira (10). O objetivo é alcançar uma solução para a defasagem no valor dos honorários pagos aos médicos, sem reajuste há seis anos.

A diretora do Sindicato Gisele Lobato ressaltou, no entanto, que o SIMERS não dará continuidade à participação em qualquer mesa de negociação sem que seja apresentada uma proposta que contemple minimamente a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM).

“Estamos fazendo assembleias por todo o Estado para dialogar com os médicos e entender qual é o posicionamento deles sobre o assunto. A realidade é que a maioria já não acredita que algo vai ser feito. São anos de negociações e nenhuma resposta efetiva. Eu quero e preciso acreditar que podemos avançar, mas para isso é necessário que vocês nos mostrem disponibilidade”, destacou Gisele.

Além do SIMERS, o Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) e a Associação Médica do Rio Grande do Sul (Amrigs) também participaram da reunião, que contou com a presença do Diretor de Saúde do Instituto, Alexandre Escobar.  As entidades agora aguardam o recebimento de um documento do IPERGS apontando medidas que podem ser executadas para avançar na pauta.

Entenda o caso

Atualmente, o valor pago por consulta aos mais de 7,3 mil médicos credenciados é de R$ 47,00. De acordo com a CBHPM, porém, o valor mínimo deveria ser de R$ 91,65. Em todo o Rio Grande do Sul, os profissionais são responsáveis por atender mais de um milhão de beneficiários.