Após pedido do SIMERS, prefeito de Tramandaí se compromete em publicar desagravo em apoio a médica

reunião com o prefeito de Tramandaí

Gonzales destacou sua preocupação com o caso. Foto: Divulgação/SIMERS

Em reunião com o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) realizada na tarde desta sexta-feira (11), o prefeito Major Luiz Carlos Gauto assegurou que  irá veicular nos jornais da região um desagravo. O objetivo é demonstrar o apoio da administração municipal a uma médica agredida verbalmente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Tramandaí.

Conforme ressaltou o diretor do Sindicato André Gonzales, a profissional está fragilizada com o caso, em que a violência física só não ocorreu pelo intermédio de um segurança que estava no local. “É um tipo de situação que não se espera viver no ambiente de trabalho. A violência precisa ser desencorajada. Os médicos são aliados da comunidade e querem atender da melhor forma possível, mas a demanda às vezes é superior à estrutura disponível”, ressalta.

Também presente no encontro, a responsável técnica da enfermagem na UPA, Deborah Rosário, destacou que a médica é uma profissional dedicada, que não raro fica na unidade além de seu horário para atender os pacientes. Já o prefeito pontuou ainda que a gestão municipal moveu ação judicial contra os responsáveis pela confusão, com audiências já em andamento.

Entenda o caso

No final de julho, pacientes que estavam na UPA de Tramandaí iniciaram tumulto, agredindo médica que estava no local. Tudo começou quando uma mulher indagou sobre a demora no atendimento do bebê que carregava no colo (já classificado na faixa de risco azul durante triagem). O incidente foi gravado e divulgado nas redes sociais, ganhando repercussão.